A revolução tecnológica no agronegócio

homem olhando para tablet em frente a plantação

O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro, calculado pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da Universidade de São Paulo (Cepea-USP) em parceria com a Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA), cresceu 8,36% em 2021. Essa taxa representa uma participação de 27,4% do agro no PIB brasileiro, a maior taxa desde 2004.

Para 2022, a previsão da CNA é de um crescimento de 2,8% no PIB da agropecuária. Só no segundo trimestre do ano, a alta foi de 0,5%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A CNA projeta, ainda, o Valor Bruto da Produção (VBP) da Agropecuária em R$ 1,38 trilhão em 2022.

Os números são impressionantes. Em especial em um cenário de pandemia mundial, em que a economia foi afetada em diversas áreas. Para entender o crescimento do agronegócio nos últimos anos, é preciso observar os aspectos que levaram a essa ascensão. 

Alguns dos principais desafios impostos pelo trabalho no campo são: a distância dos grandes pólos urbanos de tecnologia, a carência de dados precisos e confiáveis para mapeamentos, a cobertura insuficiente de redes de internet nas áreas rurais mais remotas, entre outros.

Diante desses e de outros tantos desafios, o agronegócio encontrou na tecnologia o caminho para o seu desenvolvimento. Empresas de tecnologia, como a Conceitto Industrial, estão focadas em desenvolver soluções para produtores rurais aumentarem a eficiência em suas lavouras e indústrias.

Essas soluções podem ser aplicadas antes da produção (tratamento de sementes, por exemplo), nas fazendas (gestão de propriedades) e no pós-produção (armazenagem e logística, entre outros). 

Diante da demanda global por alimentos e a necessidade de manter a sustentabilidade da produção, o investimento em tecnologia passou a ser praticamente compulsório. Por isso estamos vivendo um período de expansão da aplicação dessas tecnologias e premência de otimizar a aplicação dessas inovações.

É neste sentido que a Conceitto busca entender os desafios, encontrando soluções personalizadas e acompanhando os resultados. Esse movimento gera aumento de produtividade e diminuição de custos, sem deixar de lado a sustentabilidade ambiental, social e econômica.

A dificuldade de conexão com a internet em algumas regiões ainda é um grande desafio, que está sendo enfrentado com a implementação do 5G no Brasil. O aumento da conectividade deve multiplicar as possibilidades e estimular uma expansão de negócios ainda maior no setor do agronegócio.

Para acompanhar essa esteira de crescimento, conte com uma parceira capaz de desenvolver soluções personalizadas para o seu negócio. Conte com a Conceitto. Automatizar para gerar valor: esse é o nosso Conceitto.

Outros Artigos